Secretário de Administração Penitenciária do Rio é preso em operação da PF

Veja também

A Polícia Federal prendeu na manhã terça-feira (17) o secretário da Administração Penitenciária do Rio (Seap), Raphael Montenegro. Além dele, Wellington Nunes da Silva e Sandro Farias Gimenes, subsecretários da pasta, também foram presos na ‘Operação Simonia’, que visa desarticular um esquema criminoso que agia dentro da Seap com lideranças de facções criminosas.

Leia: Outback e Ri Happy anunciam 2.900 vagas de emprego


A investigação da Polícia Federal, desenvolvida em conjunto com o Ministério Público Federal e o DEPEN – Departamento Penitenciário Federal -, demonstrou que havia dentro da Seap um esquema de “negociações espúrias entre a cúpula e lideranças” do Comando Vermelho. Agentes públicos viabilizavam o retorno de criminosos presos em Catanduvas (PR) para o estado do Rio, e franqueavam a entrada de visitas e itens proibidos em unidades prisionais. Também houve facilitação de soltura.

A investigação aponta ainda que o esquema era praticado em troca de influência nos locais de domínio dos traficantes, além de outras vantagens ilícitas.

Chefão do CV saiu da cadeia mesmo com mandado de prisão ativo

Integrante da cúpula do Comando Vermelho (CV), Wilton Carlos Rabello Quintanilha, o Abelha, de 49 anos, deixou uma das unidades do Complexo de Gericinó, em Bangu, no último dia 27 de julho, pela porta da frente, com um mandado de prisão ativo.Ele foi solto pela Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), mesmo com a Polícia Civil alertando, horas antes da soltura, de que havia um mandado de prisão, expedido duas semanas antes, por conta de um homicídio. A Seap diz que consultou o Tribunal de Justiça e enviou o documento à reportagem. Nele, o TJ diz que não há mandado de prisão. No entanto, a consulta que a pasta realizou ao tribunal faz referência a outro processo de Abelha, em que ele realmente não possui mandado. 

Em nota, o Tribunal de Justiça disse que notificou a Seap e a Polinter do mandado por homicídio, por conta da morte de Ana Cristina Silva, de 26 anos, atingida por um tiro durante uma invasão de criminosos do CV ao Complexo do São Carlos, na Zona Norte do Rio. Ela seguia para o bar onde trabalhava, quando ficou no meio do fogo cruzado e tentou proteger o filho de apenas três anos. De acordo com investigações, Abelha, que é uma antiga liderança da organização criminosa, ordenou de dentro da Penitenciária Gabriel Ferreira Castilho, Bangu 3, a invasão ao conjunto de favelas.

Mais Notícias

Spdm anuncia vagas para o Hospital Pedro II, em Santa Cruz

Emprego - A Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) está com o processo seletivo aberto para cargos...

Mais artigos como este

Spdm anuncia vagas em Santa Cruz, Zona Oeste do Rio Abundância de Gracyanne Barbosa choca a web Frente fria histórica vai derrubar a temperatura no Brasil Coca-Cola e Grupo Macro abrem vagas no Rio Frente fria deixa Rio em estágio de mobilização