24 C
Rio de Janeiro

Menina atacada com água e óleo quente segue internada em estado estável

Publicado:

Rio –  Maria Eduarda dos Santos, de 17 anos, que foi atacada com água e óleo fervente, segue internada com o quadro de saúde estável no Hospital Municipal Pedro II, na Zona Oeste. A jovem chegou a ficar no Hospital Municipal Albert Schweitzer, mas foi transferida e está sob cuidados médicos no Centro de Tratamento de Queimados.

Em nota, divulgada nesta segunda-feira (6), a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que “a direção do Hospital Municipal Pedro II disse que Maria Eduarda apresenta estado de saúde estável”. A jovem sofreu queimaduras após Emanuelle Almeida Martins, de 18 anos, jogar uma panela de água e óleo quente em seu corpo, na última quinta-feira (2).

Ao DIA, Raquel Magni, mãe da menina, informou como a filha está no Centro de Tratamento de Queimados. “Ela está estável. [Neste domingo (5)] ela passou por procedimentos de raspagem: raspou rosto, pescoço, peito e braços. Agora, ela está imobilizada para diminuir o risco de infecção. As queimaduras foram graves, mas ela não corre risco de vida, graças à Deus”, contou.

A família acredita que Maria Eduarda foi vítima de uma tentativa de homicídio, em razão de ciúmes do ex. Também neste domingo, Raquel disse que a filha estava na casa de um conhecido, quando Emanuelle jogou a panela com o conteúdo fervente. A colega de 18 anos estaria com ciúmes das mensagens que o ex-namorado trocava com Maria Eduarda.

Raquel ainda relatou que a suspeita fugiu do local sem prestar socorro e que sua filha, sozinha, tirou a roupa, tomou um banho gelado para amenizar as queimaduras e foi para o hospital. 

Em um áudio publicado nas redes sociais, Emanuelle conta sobre o ocorrido e admite ter jogado água e óleo quentes na amiga. “Quando ela chegou eu já estava com a água e óleo na panela no fogo. Ela perguntou o que eu ia fazer e eu disse que era macarrão […] Quando o ‘uber’ chegou, eu estava com a panela na mão e disse para ela: ‘estou fazendo isso para você não me querer fazer de otária e enganada’, e joguei”.

O caso foi registrado na 33ª DP (Realengo). Segundo a Polícia Civil, “as investigações estão em andamento para apurar autoria e a motivação dos fatos”. Com a confissão de Emanuelle, a reportagem voltou a procurar a polícia para saber se a jovem será presa, mas ainda não obteve resposta.

Relacionados

Leia Mais

spot_img