Um serial killer identificado como Lázaro Barbosa, de 32 anos, vem tocando o terror em fazendas da região do Centro Oeste do Brasil. Depois ter cometido um triplo assassinato em Ceilândia, no Distrito Federal, ele fez outra família refém, nesta terça (15).

Veja também: Grupo que administra novo Zoo do Rio, abre vagas para atendente

A princípio, as forças de segurança fizeram um cerco para tentar capturar o criminoso em uma rodovia em Edilândia, no Distrito Federal, mas houve um troca de tiros entre ele e os policiais e um agente chegou a ser baleado.

Ele já está foragido há 7 dias.

Ele estava com uma jaqueta, bermuda, uma blusa e uma botina. Estava com uma mochila nas costas, mas não vi qualquer machucado. Não havia nada aparente. Ele dormiu na cama que eu descanso e não ficou marca de sangue. Só suja de terra. Se estava armado, a arma estava dentro da mochila”, disse o chacareiro que viu o serial killer.

Ainda, de acordo com o chacareiro, Lázaro Barbosa chegou a pedir um prato de comida e falou que estava com fome.

Pedi para ele aguardar eu prender os bezerros e trazer as vacas que iria arrumar um prato de comida para ele. Cheguei a falar que comida não se negava a ninguém. A minha intenção era dar comida para despistar e segurar ele. Mas ele não apareceu. Eu o vi saindo pela mata. É muito esperto”, conta.

Publicidade: OUÇA A MULTIPOP FM!

De acordo com a polícia, Lázaro é suspeito de ter matado Cláudio Vidal de Oliveira, de 48 anos, Gustavo Marques Vidal, de 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, de 15. O serial killer ainda sequestrou Cleonice Marques de Andrade, de 43 anos, esposa de Cláudio e mãe de outras vítimas.

O corpo de Cleonice foi localizado nesse sábado, dentro de um matagal, sem rupa e com um corte nas nádegas. Além disso, o maníaco arrancou uma orelha da vítima a executou com um tiro na cabeça.

E, segundo a reportagem do portal Metropoles, a saga do maníaco ainda continua. Após ter feito toda essa covardia com a família de Cleonice, ele já invadiu outras propriedades.

Uma força tarefa foi montada para tentar capturar o criminoso que, até o momento, segue foragido e invadindo propriedades naquela região.