Rio – A Polícia Civil do Rio vai apurar se a morte do jogador de futebol Maykon de Lima Baptista, que atuava no Araruama Futebol Clube, teria sido ordenada por traficantes da região conhecida como Casinhas, no bairro Vila Canaã. O meia foi morto a tiros no último sábado (9) em Araruama, na Região dos Lagos. O corpo do atleta foi enterrado neste domingo em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio. 

Investigadores da 118ª DP (Araruama) já sabem que o atleta teria ido ao local para participar de um pagofunk (mistura de show de pagode com baile funk). A polícia apura se uma desentendimento na hora do evento foi o estopim para que o jogador fosse morto. 

Testemunhas relataram que ele foi morto no local, mas o corpo foi encontrado no mato. A morte de Maykon causou comoção entre os atletas dos clube da Região dos Lagos. 

Segundo o delegado Filipi Poeys Lima, titular da delegacia de Araruama e responsável pela apuração, as investigações estão bem avançadas e testemunhas ainda estão sendo ouvidas. 

“Temos uma linha de investigação que precisa ser mantida em sigilo. De acordo com as testemunhas, ele estava saindo de um show de pagode e foi morto”, explicou o delegado.

Maikon de 28 anos tinha passagens por clubes de pequena expressão no futebol carioca como o São Gonçalo Futebol Clube e Maricá Futebol Clube. Atualmente o jogador defendia as cores do Araruama e disputava partidas da Série B2 do Campeonato Carioca. O atleta era natural de São Gonçalo.