Gabriel Monteiro mostra laudos e rebate acusações de pedofilia

Documentos apresentados pelo parlamentar citam manipulação de vídeo e dizem que não há fundamento na acusação

Veja também

O vereador Gabriel Monteiro (PL-RJ) apresentou, na última sexta-feira (6), laudos que prometem derrubar as acusações de pedofilia que ele tem sofrido em razão de um vídeo no qual aparece brincando com uma menina de 10 anos. Documentos enviados pelo parlamentar ao Pleno.News apontam manipulação nas imagens e afirmam que não há fundamento nas acusações contra ele.

Um dos laudos está relacionado ao vídeo que foi publicado por diversos veículos de imprensa que noticiaram o fato. O documento cita pontos como “edição com aumento de corte nas partes desnecessárias” e diz que a ampliação do vídeo exibido afasta a “caracterização nítida de contato, com o zoom produzido”.

– A escolha do formato do arquivo de saída foi selecionado e escolhido como formato de vídeo de grandes dimensões. [Com] a qualidade da ampliação, firmando assim baixa qualidade, afasta-se a caracterização nítida de contato, com o zoom produzido – diz o documento.

Laudo sobre vídeo de Gabriel Monteiro com criança Foto: Reprodução/Gabriel Monteiro

Outro documento enviado pelo vereador foi um psicodiagnóstico assinado pelo psicólogo Rodrigo de Matos. Na análise, o especialista descreve o vereador como “lúcido e orientado”, e diz que ele não tem “alucinações auditivas ou visuais”. O profissional relata que assistiu ao vídeo que resultou na acusação contra Gabriel e diz não existir “fundamento na literatura atual” sobre a acusação.

– Este profissional assistiu ao vídeo; de acordo com [o] que versa no DSM V [Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais] e no livro em tela [livro Parafilias, de Oswaldo M. Rodrigues Junior, que aborda questões sobre a pedofilia], [e] relatou para o cliente que [sobre] a acusação não há fundamento na literatura atual – apontou o psicólogo.

Laudo diz que não há fundamento na literatura sobre a acusação contra Gabriel Monteiro Foto: Reprodução/Gabriel Monteiro

Na última sexta-feira (6), quando falou sobre os laudos em um vídeo gravado para suas redes sociais, Gabriel negou qualquer prática de pedofilia e ressaltou que virou “o pior dos criminosos em um vídeo manipulado”, quando, segundo ele, “estava apenas cuidado de uma criança que precisava de apoio sentimental”.

– Estão querendo colocar a minha ação social como se fosse uma pedofilia. Ninguém escutou a mãe da criança, que estava do lado. Tive que fazer um psicodiagnóstico que demonstra que eu não cometi nenhum ato de pedofilia, que eu não tenho nenhum comportamento errado, sexual contra as crianças – ressaltou.

PROCESSO DE CASSAÇÃO
O prazo de dez dias úteis para os advogados do vereador Gabriel Monteiro apresentarem a defesa prévia do parlamentar ao Conselho de Ética da Câmara dos Vereadores do Rio no processo de cassação do mandato dele se encerra nesta segunda-feira (9). Na última quarta (4), os advogados entraram com um recurso na Comissão de Justiça e Redação para interromper o processo.

Os defensores de Gabriel apontam que houve vício na produção de provas e na abertura do processo. De acordo com os advogados, pela forma como o procedimento foi aberto, o mesmo poderia resultar, no máximo, em uma advertência, ao invés da perda de mandato.

Mais Notícias

Spdm anuncia vagas para o Hospital Pedro II, em Santa Cruz

Emprego - A Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) está com o processo seletivo aberto para cargos...

Mais artigos como este

Temos Vagas RJ – Confira as vagas de emprego no Rio desta semana Spdm anuncia vagas em Santa Cruz, Zona Oeste do Rio Abundância de Gracyanne Barbosa choca a web Frente fria histórica vai derrubar a temperatura no Brasil Coca-Cola e Grupo Macro abrem vagas no Rio